Entrevista com o "Craque" Neto:

E para começar o ano de 2010 em grande estilo aqui no blog, entrevistei um dos mais famosos e polêmicos comentaristas de futebol na atualidade. Trata-se de José Ferreira Neto (ou Neto como é conhecido desde os tempos de jogador). Fiz a ele, 10 perguntas relacionadas a futebol como seus tempos de jogador, seu trabalho como comentarista, Corinthians, Seleção Brasileira etc. Confiram abaixo a entrevista na integra. Detalhe: é minha primeira entrevista aqui no blog, e fico muito feliz de ser um "cara" do peso do Neto.

1 - Neto, você jogou do final da década de 80 até meados de 1997. O que mudou do futebol em sua época, para o de hoje? R: Na verdade joguei profissionalmente de 84 a 1999. E de lá pra cá muita coisa mudou. Posso destacar principalmente os salários milionários e excesso de profissionalismo. Aquele lado romântico de gostar do clube, de ter apego pela torcida, aos poucos foi se acabando. Hoje o “cara” pensa duas vezes no bolso dele antes de cometer alguma atitude que gere punição. 

2 - Dos jogadores que jogaram junto com você, qual foi o seu ídolo? R: Meu ídolo sempre foi o Rivelino, mas não tive o prazer de jogar na geração dele. Mas seguindo a lógica da pergunta acho que foi o Jorge Mendonça, que peguei um pouco no Guarani. Já de atuar contra os que mais me recordo são o Dr. Sócrates e Zico.

3 - Até hoje se diz muito que se você fosse convocado pelo Lazarroni para a Copa de 1990, nossa seleção não teria dado o vexame que deu naquela Copa da Itália, pois você estava em ótima fase. Problemas disciplinares (extra-campo) foram os motivos para o “veto” a sua pessoa naquela Copa? R: Não. O motivo para meu veto foi bairrismo. Tanto é que o João Paulo, que tinha sido eleito o melhor jogador estrangeiro da Itália atuando pelo Bari e mal abria a boca, também não foi. Ele privilegiou os cariocas. Tanto que no nosso lugar foram o Tita em fim de carreira e o Bismark com 17 anos. O que mais me irritou foi saber que após a Copa os três foram vistos passeando juntos na Disney.    

4 - Qual a partida que você jogou que não sai de sua memória? Seria a final do Brasileirão de 1990 contra o São Paulo? R: Não. A mais marcante foi o primeiro jogo das quartas-de-final daquele mesmo campeonato contra o Atlético-MG. Vencemos de virada por 2 a 1. Fiz os dois gols.

5 - O que você está achando da gestão do Andrés Sanches no Timão? Sabemos que vocês se consideram “irmãos” pela grande e duradoura amizade, mais sentimentos a parte, você acha que com ele, o Timão saiu do “quase amadorismo”? R: Recebo muitas críticas por essa suposta amizade que já vem desde os tempos em que eu jogava no Corinthians. Mesmo assim confio no trabalho dele. Sei que ainda falta muita coisa. Mas se alguém que conhecia o clube internamente na época do Dualib voltasse lá hoje não reconheceria. Muita coisa mudou. Só para se ter uma idéia o número de associados do social subiu de 2.500 para quase 13 mil. E não teve “migué” na mensalidade não.

6 -  Estamos acompanhando e sentindo a grande expectativa para o Centenário do Timão. Você está gostando das contratações (Tcheco, Iarley, Danilo, Ralf etc)? E esse planejamento para se ganhar a Libertadores é inédito? R: Digo repetidas vezes: o planejamento feito para 2010 é inédito. Nunca se levou tão a sério a Libertadores. Se ganhará ou não, é outra conversa. Até agora se contratou bons jogadores. Mas a defesa ainda precisa ser reforçada.

7 - Além de comentar jogos e participar do Jogo Aberto da Band, você trabalha na rádio Transamérica de SP apresentando o programa dominical “Esquenta”, participando do “Papo de Craque segunda edição”, e comentando jogos com grandes profissionais do calibre de Edér Luis, Henrique Guilherme, Godoy, Savóia, Roberto Carmona etc. Você sentiu ou sente muito preconceito nessa “nova” profissão por ter sido um jogador muito polêmico, e por não ser jornalista formado? R: Comigo nunca teve isso. Até porque nunca me considerei jornalista. A única polêmica que teve em relação a isso foi com o Luciano do Valle na Band. Mas ele falou “merda”, pediu desculpas e tá tudo certo.

8 - Você como homem de TV e de rádio, ou seja, como jornalista, tem muitas fontes por aí, e deu muitas noticias de contratações de clubes bombásticas e em primeira mão. Algumas delas se concretizaram, como a de Ronaldo, porém, a de Riquelme, por exemplo, não se concretizou, e você foi por muitos taxado de “aumentador”, e até “mentiroso”. Como você lidou com essas críticas? R: Não me importo. Tudo o que falei agora foi verdade. Não invento nada. O Riquelme não veio por detalhes. Mas ninguém fala que fui o primeiro a dar a notícia do Danilo e Ralf no Timão, além do Muricy no Palmeiras e tantas outras. Outro exemplo aconteceu recentemente. Postei uma informação de que o Souza seria o PROVÁVEL substituto do Adriano. E aí já teve neguinho falando que dei bola fora. Nada disso. Os internautas têm mania de simplificar a informação. A verdade e é que dirigentes do Flamengo foram até o Parque São Jorge para se calçar com o Souza em uma possível saída do Adriano. Já que o Imperador supostamente resolveu ficar, esfriou o negócio. É simples.

9 - O Dunga foi muito criticado no início de seu trabalho, pois a seleção atravessou uma péssima fase entre meados de 2007 e 2008 jogando um futebol muito apático. No entanto, ele conseguiu dar um padrão tático a um time sem tantas estrelas (podemos dizer que Kaka é a estrela maior), e a consequência, disso foram os títulos das Copa América, e Copa das Confederações. Neto, qual sua expectativa para a participação da seleção brasileira na Copa de 2010 na África do Sul? R: O problema do Dunga nunca foi o trabalho em si, que por sinal é muito bom. O jeito dele é que incomoda. Ele parece ainda querer se vingar do povo e da imprensa brasileira pelo tratamento dado a ele em 90. Isso é ridículo! A cada 10 caras de mídia que conheço, 9 não gostam do Dunga. Mesmo assim ele deu padrão e confiança ao time. Creio que a Seleção tem tudo para ir bem na África.  

10 - Grandes jogadores que você demonstra publicamente ser fã (Ronaldinho Gaucho e Alexandre Pato), foram esquecidos pelo Dunga nas últimas convocações da seleção brasileira. Entretanto, ambos estão jogando muita bola pelo time do Milan. Você acha que eles merecem voltar as próximas convocações, e, consequentemente, irem a Copa do Mundo? R: Acho que o Dunga deveria analisar o histórico geral do atletas para definir a lista final. Incluindo o momento atual. O problema é que normalmente os técnicos convocam os obedientes. Aqueles que fecharam com o grupo. Isso não pode acontecer. Quando a pressão aumenta os craques que decidem.

11 - Neto, eu Matheus Cristian dono do blog Mundo da Bola, agradeço demais pela sua gentileza e simpatia para com o nosso blog, por ter concedido esta entrevista. Deixe um recado para os admiradores de seu trabalho e blog, e para os leitores de meu blog. Mais uma vez a minha gratidão, e um grande abraço a você!!! R: Sempre é um prazer falar de futebol. E continuem me prestigiando nos canais de comunicação aos quais exerço a função de comentarista. Na TV Bandeirante, Rádio Transamérica, meu Blog no UOL (www.uol.com.br/neto) e twitter oficial (www.twitter.com/10neto). Um abraço e feliz festas a todos!!!! 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL , Sudeste , São Paulo , São Paulo (Capital) , Homem , de 15 a 19 anos , Portuguese , Spanish , Esportes , Música , Dinheiro
MSN - Mattew.94@hotmail.com

 
Visitante número:

Entrevista - Neto

Entrevista - Erich Beting

widgeo.net